Templo Bahá’í


“Bienaventurado y feliz es aquel que se levanta para promover los mejores intereses de los pueblos y razas de la tierra”. [Bahá’u’lláh]

Um lugar para orar, refletir e contemplar. Acomodado na pré Cordilheira dos Andes, o templo Baha’í é um dos miradores de Santiago com uma vista maravilhosa da cidade, e recebe a todas as religiões sem fazer diferenças.

As casas de adoração Baha’í são pontos de encontros que promovem atividades sociais, humanitárias, educativas e científicas para o benefício e bem estar comum. Promovem também a reflexão sobre os temas fundamentais da vida como a responsabilidade individual e coletiva para o melhoramento de uma sociedade. Os encontros são realizados nos templos e em diversos outros espaços como colégios e sedes comunitárias, e acolhem como iguais homens e mulheres, crianças e jovens, sem fazer diferença pela religião, raça ou nacionalidade de cada um.

O projeto

São nove casas no mundo, e o templo Baha’í de Santiago é o único da América do Sul. O templo foi projetado pelo arquiteto canadense, Siamak Hariri, em conjunto com o arquiteto e paisagista chileno Juan Grimm; eles tiveram o desafio de encontrar um terreno adequado para construir o templo seguindo os pedidos da comunidade Bahá’í internacional. Depois de dez anos de buscas pelo lugar ideal, o terreno na pré Cordilheira da comuna de Peñalolen foi o escolhido pela riqueza de espécies nativas e pela vista privilegiada de Santiago.

As paredes do templo tem o formato de uma tulipa com nove pétalas, os seus jardins tem nove caminhos adornados por nove fontes de água. O número nove foi o escolhido porque os religiosos da fé Bahá’í o consideram a máxima representação da plenitude e do amor universal. As suas paredes foram construídas com vidro e mármore translúcido, e a luz foi o elemento principal do projeto, inspirado em um texto de Bahá’u’lláh que fala da importância da luz para a reflexão e como um símbolo do divino. Durante o dia, o interior do templo recebe a luz natural do sol e durante a noite, uma luz suave é refletida. A construção levou seis anos para ficar pronta, tem 30 metros de altura por 30 metros de diâmetro, e a sua estrutura está preparada para as diferentes condições climáticas do Chile e aos seus abalos sísmicos.

O entorno

Os nove caminhos e a escadaria que levam até o templo são rodeados pela beleza das montanhas mais baixas da Cordilheira dos Andes e por suas espécies nativas. Além das nove fontes de água, esculturas em pedra do escultor nacional Francisco Gazitúa também embelezam o entorno. No alto tem um lago onde a grandeza do templo é refletida na água e onde flores de lótus flutuam alheias aos visitantes, que se sentam ali para contemplar a cidade e o pôr do sol. Na parte baixa, tem banheiros, uma biblioteca e uma área de piquenique com uma vista linda de Santiago, do templo e das montanhas.

A fé Baha’í

Uma das religiões independentes mais jovens do mundo, nasceu no Irã em meados do século XIX. Seu mensageiro, Bahá’u’lláh, plantou a ideia de que todas as religiões são provenientes de um único criador: Deus. E que somos todos de uma mesma família, sem importar as diferenças de raça, religião ou gênero.

No interior do templo tem 600 lugares, não há imagens de santos e não são celebradas cerimônias. Nas suas paredes estão escritas nove breves mensagens de Bahá’u’lláh, e na sua cúpula o texto “Oh Tú, Gloria del Más Glorioso” está escrito em árabe. Se pede silêncio dentro do templo e o uso de roupas apropriadas com o lugar, que é sagrado.


Quer conhecer o templo?

Escolha o melhor dia para você e agende com antecedência o passeio #templobahai+cousinomacul, que eu te mostro as belezas e delícias destes dois lugares imperdíveis em Santiago.