Cerro Santa Lucía

Bem próximo ao charmoso e gastronômico bairro Lastarria está o cerro Santa Lucía, um ícone histórico e cultural da cidade de Santiago. Os mapuches – um dos povos originários do Chile – o chamavam de Huelén, que significa dor ou tristeza no idioma mapudungún dos indígenas. O cerro [morro] era lugar sagrado para eles, onde rituais era realizados. Com a chegada dos espanhóis, Pedro de Valdívia tomou o cerro dos mapuches e mudou o seu nome para Santa Lucía, e aos seus pés fundou a cidade de Santiago, em 12 de fevereiro de 1541. Durante o período da colônia – que durou quase 300 anos – o cerro serviu de fortaleza nas batalhas entre chilenos e espanhóis.

No final do século XIX, em comemoração ao Centenário da República, um projeto de melhorias urbanas deixou a cidade de Santiago mais moderna e bonita. O cerro fez parte do projeto e foi remodelado, ganhou os caminhos que levam até a torre principal, ganhou também uma capela, várias praças, fontes de água e toda a sua maravilhosa vegetação. Em 1971, um imenso e lindo mural de cerâmica foi instalado na parede que dá para a avenida Alameda, a artista homenageada foi a poetisa Gabriela Mistral. Em 1983, o cerro Santa Lucía foi declarado MonumentoNacional por sua importância histórica e patrimonial.

Hoje, o cerro é um atrativo turístico de Santiago, não só por sua história, mas por sua beleza e por sua vista privilegiada. Do alto da sua torre de 69 metros de altura, se pode contemplar todo o centro histórico da cidade e o seu entorno.