O retorno

Olá, #winelovers! No começo de abril fiz uma postagem contando que doze garrafas de vinho tinto francês foram enviadas ao espaço a bordo da Estação Espacial Internacional, dentro de uma cápsula.

As garrafas fazem parte de um programa chamado Mission Wise, uma investigação financiada pela empresa Space Cargo, com o objetivo de observar como a baixa gravidade do espaço pode afetar o envelhecimento dos vinhos e também para entender como cultivar parreiras em solos e climas mais extremos, o que pode ser cada vez mais comum no nosso planeta, por conta do aquecimento global.

As doze garrafas de vinho viajaram na Estação Espacial, que orbita a Terra a uns 400 quilômetros de altitude, e ali elas descansaram durante 438 dias dentro de cilindros de aço inoxidável. Em fevereiro elas retornaram à Terra e foram enviadas de volta à França para serem analisadas. Em março a Space Cargo realizou a degustação de algumas garrafas, feita pelos melhores degustadores franceses, e os primeiros resultados já estão prontos!

A degustação foi realizada às cegas, os degustadores não sabiam se o vinho que estavam provando tinha sido envelhecido no espaço ou em uma adega na Terra. Segundo Philippe Darriet, pesquisador e um dos cientistas que lideram o experimento, houve unanimidade em considerar que o vinho espacial é grandioso! Ele não sofreu durante os 14 meses e as suas características de estrutura, sabores e aromas são plenamente satisfatórias.

A investigação ainda está em curso. Darriet afirma que, além dos testes com os degustadores, as amostras do vinho espacial passarão por uma série de análises químicas para determinar com exatidão as diferenças com os vinhos terrestres.

Além das garrafas de vinho, a empresa mandou também 320 brotos de parreiras para ver como a falta de gravidade afeta o desenvolvimento das plantas. Depois de 10 meses no espaço, as parreiras voltaram à Terra e foram imediatamente plantadas. A Space Cargo afirma que as plantas espaciais têm produzido mais brotos que as plantas que permaneceram na Terra em condições parecidas.

Para Darriet, desvendar o misterioso processo de como o vinho envelhece pode conduzir a novas descobertas científicas.

Um salud espacial!

Parceria com @hello_wine | Fonte elconfidencial.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.