As Quatro Estações


As Quatro Estações é um pequeno guia que elaborei para te ajudar na escolha do melhor período da sua viagem de férias no Chile, um país com muitos atrativos e que não cabe em apenas uma viagem. Santiago, a capital e um dos principais destinos, se localiza na região central, quase no meio do curioso mapa do Chile. O seu território tem 4.300 quilômetros de extensão por apenas 175 quilômetros de largura, uma geografia única para um país com múltiplas belezas naturais. 
O clima da região central é de estações bem marcadas com um verão quente e seco, e um inverno gelado e chuvoso. A primavera e o outono são duas estações de condições menos extremas e de belezas singulares, e você vai precisar fazer a difícil escolha entre: conhecer as montanhas da Cordilheira branca de neve ou, os vales verdes das plantações carregadas de cachos de uvas. Afinal, essas duas maravilhas não vieram juntas na mesma estação.
Mas, a região central do Chile é bem mais que neve e vinhos, ela tem muitas outras bondades. Santiago, uma cidade emoldurada por montanhas, linda e moderna, oferece uma rica agenda de cultura, lazer e ótima gastronomia. O extenso litoral do Pacífico é uma joia azul que banha o porto de Valparaíso e as belíssimas praias de Isla Negra e Viña del Mar. A região de Cajón del Maipo, que é só um pedacinho da exuberante Cordilheira dos Andes – com os seus quase oito mil quilômetros de extensão – é um dos poucos lugares no mundo que oferece um céu perfeito para a observação de estrelas, planetas e constelações. E ainda tem os vulcões, os rios, os parques e miradores. Bem, como eu disse no início, são muitos os atrativos em cada estação do ano, e o Chile não cabe mesmo em apenas uma viagem!


Primavera: 22 de setembro a 21 de dezembro

A primavera é a estação mais alegre, viva e colorida do ano, um verdadeiro presente da “mamá naturaleza”! As temperaturas começam a subir, saímos de um inverno gelado e do vinho tinto, para dias mais quentinhos, de sol ameno e vinho rosé. As manhãs e noites ainda são bem frescas, por volta dos 10 graus, mas, durante o dia, os termômetros alcançam os 25 graus e às vezes, até um pouco mais. Os dias são mais longos e, com o horário de verão, que adiantou os relógios em uma hora, despertamos com o sol nascendo por trás da Cordilheira por volta das sete horas da manhã e o vemos se pôr lá no Pacífico, como uma gigante bola de fogo, já quase oito horas da noite.

As belezas da primavera

A cidade de Santiago se enfeita de cores e flores, nos jardins das praças, nos parques, nas sacadas das casas e dos apartamentos. Nas mesas de bares e restaurantes tem sempre um vasinho colorido; nos semáforos, vendedores oferecem maços de girassóis amarelo sol; e as ruas cinzas do centro, ganham cor com o desfile das roupas estampadas. As árvores já não são mais só galhos secos e, por onde quer que caminhemos vemos que a primavera alegremente chegou! Nos caminhos que levam até Vale Nevado e Farellones, imensos tapetes de flores se formam na beira da estrada e no alto das montanhas, flores que brotam das rochas e rodeiam os cactos nativos. Em Cajón del Maipo, a represa de Embalse el Yeso ganha um contorno florido e fica ainda mais deslumbrante, parecendo uma pintura. Nas rotas para o litoral, a mesma beleza das montanhas da Cordilheira, tapetes de flores brancas e amarelas enfeitam a estrada. Em Isla Negra, o azul do Pacífico se mistura com as cores de várias espécies nativas, e foi no quintal da casa do Pablo Neruda que eu vi uma das paisagens mais lindas de primavera. Valparaíso, que já é um caótico labirinto colorido, na primavera veste de flores as suas janelas, as suas casas e as suas escadas.

Mas talvez a beleza que mais encanta, são as intermináveis plantações de uvas, que com a chegada da primavera despertam timidamente, colorindo de verde onde antes era marrom. As parreiras saem do seu descanso vegetativo de inverno e pouco a pouco, os seus galhos secos se cobrem de folhas e se preparam para receber os primeiros cachos de uva da temporada. É um lindo ciclo que se repete a cada estação.

A agenda da estação

Setembro é o mês em que se comemora o Dia Nacional do Vinho Chileno, com festas e eventos no país inteiro. Na cidade de Santiago, um dos maiores festejos é a Wine Fest, uma feira onde dezenas de vinhas (as grandes e também as de pequenas produções) se juntam para oferecer as suas delícias e novidades – no ano de 2019, a feira foi realizada no Parque Bicentenário. As festas patrias, a tão esperada celebração da independência do Chile, também acontece em setembro e é o feriado mais longo e festejado do ano. As fondas, festas com barraquinhas de comidas e bebidas típicas, dança e cultura chilena, se espalham pelas praças, parques e também por muitas vinhas que oferecem uma programação especial para comemorar a data. Duas festas imperdíveis para quem quer conhecer e vivenciar a cultura e a gastronomia chilena.

O que trazer na mala

Roupas de meia-estação. Casacos e blusas de tecidos mais leves e camisas de manga ¾. Se a sua viagem for no começo da primavera, traga também ao menos um casaco mais pesado para os passeios nas montanhas, onde o clima é sempre instável e poderá te pegar de surpresa por uma nevasca, e no litoral, onde o vento que sopra do mar às vezes congela mais que a neve. Na cidade, talvez um dia ou outro você possa usar um look mais fresco como vestido, shorts, bermuda, camiseta. E recomendo sempre: muita água, protetor solar, tênis e espaço livre na mala para as comprinhas.

Setembro é um mês bem especial: além do clima mais ameno, das flores, das festas e das parreiras brotando, é um período que ainda tem neve na Cordilheira (e com grandes chances de novas nevascas) e dias lindos de sol e céu azul no litoral do Pacífico.


Verão: 21 de dezembro a 20 de março

Se você já sabe que o Chile tem um inverno de congelar, então saiba também que o verão aqui é de torrar! As temperaturas oscilam entre 15 e 35 graus, e durante o dia a sensação térmica às vezes passa dos 40 graus. E venha preparad@ para passar dias sem ver uma única gota de chuva, o verão é o período de seca e você vai sentir na pele, na boca, no cabelo. O corpo pede água, beba litros por dia! Os dias clareiam bem cedinho e isso vai te animar a pular da cama e buscar uma cafeteria, então saiba: a vida aqui em Santiago começa um pouco mais tarde do que você possivelmente está acostumad@. Só depois das nove horas da manhã é que o comércio começa a abrir, antes deste horário, só mesmo o movimento dos carros nas grandes avenidas.
Os dias de verão são longos, o sol nasce por volta das seis da manhã e só se põe perto das nove horas da noite. Em um só dia do seu roteiro você pode escolher fazer um passeio até o litoral de Valparaíso, pisar nas águas geladas do Pacífico, voltar para Santiago e, ainda vai ter tempo de ver o pôr do sol no Sky Costanera. E se te sobrar disposição, ainda da para ir jantar no Pátio Bellavista.

O que trazer na mala

Roupa leve: shorts, bermuda, vestido, camiseta. Mas é bom trazer também um casaco mais leve para as manhãs e noites, que são mais frescas. Talvez você use o casaco nos passeios pelas montanhas e pelo litoral, onde o clima é mais instável e uma ventania pode te pegar de surpresa. Traga também um tênis, ainda acho que é o calçado mais adequado para todos os passeios. Muita água, boné e protetor solar não podem faltar. Espaço na mala para os vinhos que você vai querer comprar? Claro!

As belezas do verão

Até a metade da estação ainda vemos os parques, jardins e praças da cidade coloridos pelas flores. As árvores, em vários tons de verdes, refrescam e enfeitam as ruas.  Durante o dia, o céu quase sem nuvens de Santiago, parece uma pintura emoldurada. Quando cai a noite na Cordilheira dos Andes, a imensidão do seu céu estrelado é de impressionar. No litoral, céu e mar se misturam em tons de azul. E as intermináveis fileiras de parreiras embelezam a cidade e os caminhos que levam para os vales de plantações de uvas, cada vez mais carregadas de folhas e de cachos.  

O que fazer

Final de dezembro, janeiro e fevereiro, são meses de férias escolares e também é o período em que os chilenos saem para desfrutar as suas vacaciones, e vão principalmente para o litoral. A cidade fica bem mais tranquila e com menos trânsito, o que é ótimo, afinal, Santiago tem por volta de sete milhões de habitantes e todos os perrengues de uma capital. Coloque no seu roteiro ficar na cidade por um ou dois dias, é a melhor época do ano para passear por Santiago.

É no verão que as frutas mais saborosas e suculentas estão por toda parte: morangos, framboesas, amoras, cerejas, chirimoyas, tunas, arándanos, melancias e melões. Você vai poder saborear  essas delícias do jeito que preferir: inteiras, aos pedaços, nos sucos e nos sorvetes. Em Lastarria, tem o Empório La Rosa, peça um sorvete de frutas da estação e vá saboreá-lo no Parque Forestal, um parque lindo e que tá do ladinho da sorveteria. Aliás, os parques de Santiago são ótimas opções para incluir no teu roteiro de verão. Faça um piquenique no Parque Araucano ou no Bicentenário, suba de teleférico até o mirador do Cerro San Cristóbal e prove um mote con huesillo. Reserve um tour de bike e saia pedalando pelas ciclovias planas e arborizadas da cidade. Veja o pôr do sol no alto do Sky Costanera as nove horas da noite, vai ser uma experiência incrível.

Passar um dia entre as montanhas da Cordilheira dos Andes, também pode estar no teu roteiro. A Cordilheira é uma imensa cadeia de montanhas, e a sua paisagem exuberante – mesmo sem neve – vai te surpreender. A quase 2.500 msnm e marcado por um caminho de curvas bem acentuadas e penhascos, está o parque Farellones. O parque tem dois restaurantes com vista privilegiada para as montanhas, e tem também várias atividades de verão, como o teleférico e a tirolesa. Em outro ponto da Cordilheira está Cajón del Maipo – um cânion formado há milhões de anos – com duas atrações naturais principais: a represa de Embalse el Yeso e as piscinas aquecidas de Baños Colina. O caminho para chegar até estes dois pontos passa por vários pequenos povoados, e é rodeado de fauna e flora nativas, rios e cachoeiras. Contemplar o vulcão San José e fazer um piquenique na imensidão das suas montanhas, são duas experiências maravilhosas que você precisa viver. E quando a noite cai em Cajón, o seu céu se ilumina de estrelas, planetas e constelações, te recomendo sim ou sim, colocar um tour astronômico no teu roteiro de verão!

No litoral, as águas do Pacífico continuam geladas, mas ainda assim, vale fazer parte do roteiro. Te recomendo fazer este passeio durante a semana, lembra que são as férias dos chilenos também, e as praias e estradas ficam ainda mais movimentadas nos finais de semana. Como não é um dia de banho de mar, aproveite para conhecer de perto a beleza caótica de Valparaíso – declarada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Caminhe entre as suas ruas estreitas, seus murais e as suas casas coloridas, famosas no mundo todo. Conheça a vista maravilhosa que o poeta Pablo Neruda tinha do mirador da sua casa, e pare para almoçar num restaurante de frente ao mar. Suba de bondinho até o alto do Porto de Valparaíso, um dos mais importantes aqui no Chile e com uma vista linda de toda a baía. Em Viña del Mar, que tá do ladinho, faça um passeio pelo Muelle Vergara, um pier que entra 260 metros dentro do mar, e tire fotos no famoso relógio de flores que fica na entrada da cidade. Em Isla Negra, outro ponto do litoral e onde mar e campo se misturam, está a outra casa de Neruda, a que tem o quintal mais bonito e onde eu te recomendo fazer um tour para conhecer as peculiaridades da casa por dentro. Dá para caminhar entre as  ruas de terra do povoado e chegar até a praia de rochas e águas geladas, ali, talvez você queira molhar os seus pés. Almoce de frente ao mar e peça um espumante bem geladinho para brindar pelo dia.

No verão as parreiras estão cheias de folhas e de cachos de uvas, fazer um passeio pelas vinhas vai ser uma experiência deliciosa – mesmo que você não seja um winelover – então, inclua ao menos um vale no teu roteiro. Faça um tour de bike entre as plantações da vinha Cousiño Macul, ou um piquenique na Emiliana. Passeie de charrete entre as parreiras da vinha Viu Manent, e na vinha Casas del Bosque, peça um vinho branco geladinho para se refrescar. Em fevereiro, começa o período de vendimia e algumas vinhas incluem em seus tours, atividades para que os turistas participem da colheita, viva essa experiência. Depois, almoce rodeado de uvas e peça um vinho rosé para comemorar. E tem as degustações de vinhos! Brancos, tintos, rosés e espumantes – uma ótima oportunidade para você provar as riquezas que cada uma produz. Prove os vinhos orgânicos, os biodinâmicos, os naturais e os artesanais. Prove tudo!

O Chile é um lindo mapa de experiências e sabores, de norte a sul. Aqui na região central tem as grandes vinhas, famosas no mundo. Mas tem também as pequenas vinhas, com vinhateiros que cuidam de todo o processo da elaboração, da terra até a taça. Estes produtores menos conhecidos, produzem os seus vinhos mantendo processos ancestrais que vão te surpreender. Vão te surpreender também com o acolhimento e com a alegria que irão te receber. Então, na sua próxima viagem lembre-se de me perguntar sobre estes personagens, que elaboram verdadeiras riquezas escondidas!


Outono: 20 de março a 21 de junho

Depois de três meses de um clima seco e muito quente, finalmente as temperaturas começam a cair, as manhãs são geladinhas e as temperaturas variam entre 10 e 25 graus. O sol se põe mais cedo e os dias já não são tão longos como no verão, mas ainda assim você terá muito o que desfrutar dessa estação de clima muito agradável e com uma beleza singular. Nos passeios para a Cordilheira, você poderá dar a sorte e ser presenteado/a pela mãe natureza com uma nevasca ainda no final de abril e começo de maio, anunciando a chegada do inverno. Por isso, esteja preparado/a para o frio e vá bem agasalhado, mesmo que durante o passeio você vá tirando as camadas de roupas. Mas, se você não for surpreendido/a pela neve em pleno outono, as paisagens nos passeios para Valle Nevado e Cajón del Maipo são lindíssimas, não duvide! Nas vinhas, entre os meses de março e abril, as parreiras estão carregadas de folhas e cachos de uvas e acontecem as festas de vendimia: a colheita das uvas! E acredite: esta é uma das experiências mais bacanas dessa estação. Mesmo tendo uma pequena variação de data, é sempre certo que o outono é sinônimo de colheita e festa!

Se você quer saber um pouco mais sobre a vendimia, leia o post que fiz sobre esse tema, que eu adoro!

As belezas do outono

Junto com a temperatura caem também as folhas dos incontáveis plátanos orientais que se espalham nas praças e parques de Santiago. Tons de verde, amarelo e vermelho colorem a cidade, e nas calçadas tapetes de folhas se formam, deixando a cidade maravilhosa. Esta é uma beleza que encanta: é bem comum as cenas de moradores e turistas tirando fotos com as folhas secas e multicoloridas soltas pelo chão.

Entre as montanhas de Cajón del Maipo, a exuberante vegetação também vai secando e colorindo o caminho, e nuvens baixas que parecem tocar as árvores desenham o céu! É sem dúvida uma das mais belas paisagens no outono! O litoral amanhece coberto por um nevoeiro, mas muitas vezes esse nevoeiro logo se dissipa e o sol aparece, lindo, iluminando as águas geladas do Pacífico. Aproveite para curtir por mais tempo os bons restaurantes do litoral, peça um prato com frutos do mar e um bom vinho para acompanhar e desfrute da paisagem que é sempre inspiradora! Não deixe de levar um casaco, o vento que sopra é gelado e o sol de outono muitas vezes engana, rs. As plantações de uvas também são umas das belezas do outono: cada tipo de uva tem sua folha com uma cor característica e quando começam a secar, notamos ainda mais as diferenças: a folha da uva sirah, por exemplo, quando seca é vermelha, intensa! Olhando as parreiras de longe, fileiras de cabernet sauvignon, merlot e diversas outras uvas se misturam e a paisagem que se forma é um grande tapete fofo, colorido, lindíssimo!

O que trazer na mala

Você ainda vai poder usar bota, casaco, cachecol e roupas de meia estação. Mas traga também roupas mais leves para os dias quentes. Não deixe de trazer um tênis confortável, protetor solar e espaço na mala para vinhos e outras delícias!


Inverno: 21 de junho a 22 de setembro

Na cidade de Santiago os dias amanhecem entre 0 e 5 graus, mas até a hora do almoço a temperatura já subiu para 10, 15, 25 graus, depende dos caprichos da mãe natureza. No final do dia, a temperatura volta a cair e muitas vezes acompanhada de um ventinho gelado, então, mesmo que você saia com um sol quentinho na hora do almoço, não se engane e leve um casaco, com certeza você vai usá-lo.​ Já na Cordilheira dos Andes, nos passeios para Valle Nevado e Cajón del Maipo, por exemplo, as temperaturas no inverno são normalmente negativas, variando entre -5 a -14. Então sempre vá muito bem agasalhado/a e protegido/a da neve, com roupas impermeáveis, porque, se molhar a sua roupa, você vai congelar e aí… Estragou seu passeio!​ No litoral, as temperaturas não chegam a ser negativas, mas, pela proximidade com o mar, o clima é mais úmido e a sensação de frio é maior que em Santiago, então também vá sempre bem agasalhado/a, mesmo em dias de sol, porque o vento que sopra do Pacífico costuma ser bem gelado!​ Os dias são mais curtos: começa a clarear por volta das 8 horas da manhã e antes das 6 da tarde o sol já está se despedindo.​ O inverno é o período de chuvas no Chile, mas no geral chove bem pouco aqui na região Central, onde está localizada a cidade de Santiago. Cada ano tem uma variação de clima: teve ano em que a primeira nevasca forte foi já no mês de maio e, quando chegou setembro, já tinha pouca neve. Outro ano em que a primeira nevasca forte veio só no mês de junho, mas chegou outubro e ainda tinha neve para brincar.

Não temos como prever com antecedência e dependemos dos caprichos da mãe natureza, o que podemos dizer com uma certa segurança, segundo a meteorologia, é que nos meses de julho e agosto acontecem as nevascas mais fortes e com maior frequência.

Em julho de 2017 nevou em Santiago! Nevou mesmo, caindo do céu e deixando toda a cidade branca, branquinha! Tinha neve cobrindo os telhados das casas, em cima dos carros, nas calçadas, nos jardins! Um estádio de futebol no bairro de Las Condes ficou parecendo uma piscina, só que cheia de neve! A piscina do condomínio onde eu morava ficou emoldurada pela neve. Eu vi neve caindo pela minha janela, e posso dizer que foi a cena mais linda, inesperada e surreal da minha vida! Mas também tenho que esclarecer que este não é um fenômeno normal nem acontece todos os anos; a penúltima vez que havia nevado na cidade foi no ano de 2007, ou seja, levou 10 anos para acontecer de novo. Então, quando você vier para o Chile no inverno, conte com certeza somente com a neve na Cordilheira!

As belezas do inverno

Santiago emoldurada pela Cordilheira branca de neve é um verdadeiro presente da natureza! Quase que de qualquer ponto da cidade você terá essa paisagem linda, única! Um dos lugares mais comuns para os santiaguinos e que eu acho um ponto perfeito para apreciar a cidade com a neve de fundo é a passarela que leva até o shopping Costanera Center: em meio ao movimento do vai e vem de turistas e moradores, experimente parar ali por alguns minutos e curtir a sua beleza urbana e moderna misturada com a beleza da natureza!

Subir no Sky Costanera e no alto dos seus 300 metros de altura, descobrir Santiago em 360 graus e sua exuberante Cordilheira dos Andes nevada é de perder o fôlego. Caminhar pelas ruas geladas da cidade, parar para tomar um chocolate quente e ver os cachorros que passeiam com roupinhas de lã feitas pelos moradores também é uma das belezas do inverno chileno.​ As águas no litoral ficam ainda mais geladas, mas as praias têm seus dias lindos de sol e de mar azul intenso. Como os dias são mais curtos, dá para esperar e contemplar a beleza de um pôr do sol no horizonte do Pacífico.​ Valparaíso e suas casinhas coloridas nos morros, continuam recebendo turistas que buscam por sua beleza caótica o ano inteiro. Em Isla Negra, a casa com o quintal mais bonito de Pablo Neruda segue aberta para as visitações de quem quer conhecer um pouco mais desse grande poeta. As vinhas estão com suas parreiras sem cachos de uvas e já podadas, mas provar de algumas boas taças de vinho durante uma degustação, em um dia friozinho de inverno, é bom demais!​ Sem falar nos outros atrativos que as vinhas oferecem: museus gratuitos, restaurantes com gastronomia internacional , lojas de vinhos com preços incríveis e paisagens maravilhosas em qualquer estação do ano!

E claro, eu não poderia deixar de falar sobre as montanhas de Valle Nevado e de Cajón del Maipo: dois pontos da Cordilheira dos Andes com uma beleza indescritível, só mesmo quem já chegou lá no alto dos seus 3.000 metros sabe da sensação maravilhosa que é ver tudo branquinho! Eu, quando subi pela primeira vez num dia de muita neve, chorei de emoção, de alegria e de gratidão.

O que trazer na mala

Todas aquelas roupas e acessórios de inverno que você ama e talvez use pouco, dependendo da região do Brasil onde você mora! Traga: bota e tênis impermeável, casaco grosso e de chuva, blusa de lã, cachecol, luva, gorro, blusa e calça segunda pele e protetor para os lábios.
Se você vier no mês de agosto, traga também espaço na mala: este é um mês de imperdíveis promoções de roupas e acessórios de inverno. Se você mora no norte ou nordeste do Brasil, leve vinhos então! Os bons preços dos vinhos são em todas as estações.