Isla Negra


O oceano Pacífico saía do mapa. Não havia onde colocá-lo. Era tão grande, desordenado e azul que não cabia em nenhuma parte. Por isso o deixaram em frente da minha janela”.

Um pouco da história

Não tem como falar de Isla Negra sem falar do poeta chileno Pablo Neruda. Las gaviotas: assim se chamava a praia onde Neruda escolheu para escrever uma das suas principais obras literárias. Era o ano de 1937. Depois de retornar de uma das suas tantas viagens, o poeta chegou em Las Gaviotas, tarde da noite, a cavalo e acompanhado de um marinheiro espanhol, dono de uma pequena casa de pedra em frente ao mar. Neruda buscava um lugar para escrever o seu afamado livro O Canto General, e aquela praia de mar azul e rochas negras conquistou o poeta. Neruda rebatizou o lugar com o nome de Isla Negra, comprou a pequena casa do marinheiro e logo, como escreveu: a casa foi crescendo, como as pessoas, como as árvores.

No inverno de 1943, junto do arquiteto Germán Rodríguez, Pablo Neruda iniciou uma série de ampliações na casa. Naquela época não era fácil construir na região, os materiais tinham que ser transportados em carroças puxadas por bois que, no caminho até a casa, atravessavam um esteiro. Neruda acompanhou atento as obras e dava instruções claras do que queria: uma torre, uma chaminé e uma grande janela frente ao mar. Mesmo com todas as dificuldades, a ampliação da casa ficou pronta em dois anos. Durante as obras Neruda escreveu: “O oceano Pacífico saía do mapa. Não havia onde colocá-lo. Era tão grande, desordenado e azul que não cabia em nenhuma parte. Por isso o deixaram em frente da minha janela”. A partir de 1965 o arquiteto e amigo Sergio Soza projetou novas ampliações: os arcos que unem as duas partes da casa foi uma delas. Na sala onde escrevia, o poeta pediu para que fosse colocado um teto de zinco, ele queria escutar o canto da chuva e recordar dos tempos da sua infância, vividos no chuvoso sul do Chile.

Em Isla Negra, Pablo Neruda encontrou a inspiração poética que buscava, foi onde ele escreveu uma parte importante da sua obra e reuniu a maior parte dos seus livros. Também foi onde ele se reuniu com os amigos e viveu até os últimos dias da sua vida, em companhia de Matilde, sua esposa, também chilena. Pablo Neruda morreu em 23 de setembro de 1973 em Santiago, em decorrência de um câncer, aos 69 anos.

A casa de Isla Negra passou a ser museu e administrada pela Fundação Pablo Neruda. A fundação foi criada em 1986 por Matilde Urrutia, que atendeu a uma antiga vontade do poeta: motivar o estudo e a difusão da poesia. A fundação cuida também das suas outras duas casas: La Chascona, em Santiago, e La Sebastiana, em Valparaíso, e tem como principal objetivo preservar e difundir o legado poético de Neruda.

Pablo Neruda só voltou a Isla Negra em dezembro de 1992, quando finalmente teve um funeral com todas as honras que merecia e ainda teve realizado o seu desejo de ser enterrado frente ao mar e junto da sua amada Matilde.

As coleções de Neruda

Na casa museu de Isla Negra estão expostos objetos que Neruda reuniu durante toda a sua vida, entre eles uma coleção maravilhosa de conchas, garrafas em formas estranhas, figuras de proa, réplicas de veleiros, entre outras coleções um tanto excêntricas do poeta. Na casa de Isla Negra tem um bar onde ele celebrou a sua amizade com alguns poetas mortos e gravou os seus nomes em vigas de madeira. A artista e cantora chilena Violeta Parra realizou oficinas de artesanato e folclore na casa de Isla, inspirada também pela beleza do azul do Pacífico que enamorou Neruda.

Te recomendo

No quintal da casa, onde estão enterrados Pablo e Matilde, tem também um restaurante. O povoado em volta da casa, que vive basicamente do turismo e do artesanato, tem lojas e  artistas de rua, cada um vendendo a sua arte. As ruazinhas são de terra e levam até a praia, onde o poeta está esculpido em uma grande rocha frente ao mar. Te recomendo fazer o tour por dentro casa e conhecer um pouco mais da vida e das coleções de Pablo Neruda, que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1971. Depois, almoçar com vista para o azul do mar e passear fazendo comprinhas pelas ruazinhas do povoado, que cheiram a bosque misturado com a brisa do mar.

O Caminho

A estrada que leva até Isla Negra é a Rota 78, no sentido oeste do país. O tempo de viagem até a Casa de Pablo Neruda é de 1 hora e 45 minutos saindo do centro de Santiago, sem paradas e em dias de baixo movimento. Já no litoral, a estrada vai beirando o mar e é conhecida como la ruta de los poetas.


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.