Sozinha no Chile

O roteiro sob medida Sozinha no Chile fala dessa menina cheia de disposição e ligada no 220, a Cecilia. Mas estou certa de que ela não se sentiu sozinha em nenhum momento, e encantou-se com algumas paisagens que “nasceram” para ela, e desfrutou de cada dia com gratidão.

valle-nevado-na-primavera-4


Mesmo sabendo que iríamos encontrar pouca neve em Valle Nevado, quis fazer o passeio até lá, pois sua vontade de estar nas montanhas da cordilheira era grande demais. E, até para a minha surpresa, encontramos, além de muitas flores pelo caminho, uma queda d’água que não estava ali da última vez que subi, alguns dias antes. Nessa cachoeira recém-nascida do degelo, ela se entregou e se desconectou do mundo, ficou ali por minutos só sentindo os respingos em seu rosto e o barulho forte da água caindo nas pedras, como um grande coração batendo acelerado entre as montanhas. Lá no alto, brindamos juntas a vida, e a bênção de estarmos em um lugar como aquele. Em vários momentos, ela repetia:  “parece que estou em um quadro”, porque assim ela vê a natureza, um quadro perfeito emoldurando nossa vida. Em Farellones, passeou pelo vilarejo, tirou fotos e mais uma vez se desconectou do mundo. Agradeceu.

valle-nevado-na-primavera-3

Quando chegamos a Valle Nevado, em questão de minutos veio uma neblina muito forte que cobriu toda a paisagem, uma pena, mas são caprichos da natureza sobre os quais não temos o menor controle sobre eles. Restou-nos sentir o que não víamos da paisagem e comer alguma coisa no restaurante, que estava quentinho, esperando pelos turistas que vão a passeio por um dia, e também pelos que ainda estão hospedados lá. A Cecilia escolheu um lanche muito bem servido de “papas fritas”, e eu, uma sopa de “lentejas” com queijo… Divina, esquentou meu corpo e minha alma.

valle-nevado-na-primavera-5

Na volta, fizemos um passeio pela reserva Yerba Loca, caminho de estrada estreita, mas que nos levou à beira de um rio caudaloso, lindo, vivo.

valle-nevado-na-primavera-7


No segundo dia, o passeio começou com uma degustação na vinha Emiliana. Um dia lindo de sol, quatro bons vinhos, mesas decoradas com arrudas que florescem, turistas do mundo todo e um sommelier trilíngue, tornaram esse momento, um momento especial e cheio de sabores e aromas. E não tem quem chegue aqui e não se encante com suas lhamas, suas galinhas soltas e não queira passear pelos jardins da vinha. As parreiras estão cada vez mais cheias, já com brotinhos de uvas, preparando-se para a colheita que acontece a partir de fevereiro.

vinha-emiliana-3 (2)

vinha-emiliana-1

Seguimos o passeio com destino a Isla Negra e, ao chegarmos lá, tivemos uma deliciosa surpresa: um mar de azul intenso emoldurado por flores cor-de-rosa, amarelas e brancas. Viva a primavera! Viva a poesia de Pablo Neruda e sua escolha em ter uma casa nesse pedacinho de paraíso. Por ali almoçamos juntas, caminhamos pelo vilarejo, mas depois deixei a Cecília por um tempo sozinha, a beira do mar, um tempo só dela com seus pensamentos e sonhos.

isla-negra-1

isla-negra-4

isla-negra-6

Na volta, passamos para “babar” na piscina do condomínio San Alfonso, a mais extensa do mundo, com 1 quilômetro e 3 metros de profundidade. Beirando o condomínio, uma mistura de flores e cactos quase à beira-mar, deixou o lugar ainda mais surreal.

condominio-san-alfonso


O dia seguinte foi dia de montanhas, Cajón del Maipo foi o destino escolhido pela Cecilia, que ama a paz e a beleza da natureza e sente uma conexão muito forte com ela. Fomos direto para Baños Colina, com a ideia de poder aproveitar o tempo que ainda estava aberto e com sol. Devemos sempre respeitar e não confiar demais no clima da cordilheira, ele muda de um momento para o outro. Mas fomos abençoadas e pudemos apreciar as montanhas ainda levemente cobertas de gelo, mergulhadas nas águas quentes de uma das piscinas naturais, cravadas na saia do vulcão San José. Deixei a Cecilia também um tempo sozinha, acompanhada somente de uma taça de vinho, mais um momento para ser só dela.

cajon-del-maipo-4

cajon-del-maipo-3

Na volta fizemos algumas paradas que fazem parte do roteiro, e depois já cansados, seguimos para o hotel, onde deixamos ela, feliz e renovada, mas com fome rs, passamos o dia com o lanche e chocolates que levei, e uma empanada que comemos no caminho.

cajon-del-maipo-7

cajon-del-maipo-5


Nosso último dia juntas, foi para apresentar a ela o centro de Santiago para ela em um tour caminhando, mas confesso que, depois de dias entre montanhas, praias e cachoeiras, eu, “a guia” já estava com pouca bateria rs, minha sorte foi que a dela também já estava meio fraca, e parar para almoçar foi um alento rs. Donde Augusto foi a escolha, com direito a música ao vivo. No tour, acho que o que ela mais curtiu foi conhecer o Museu de História Nacional, acompanhar um pedacinho de uma missa que estava sendo celebrada na Catedral e fazer comprinhas na feira de artesanato, encontrou tudo o que queria e ficou superfeliz. Foi dia também de já pensar no seu próximo destino… O Peru, e estava muito ansiosa. No dia seguinte, deixamos ela logo cedo no aeroporto, e ela resistia em ir rs, seria um desafio, no Peru não tinha ninguém esperando por ela, seria tudo por conta dela. Espero que ela tenha ouvido meu conselho: em curtir e aproveitar cada momento, sem muitas expectativas, e deixar a viagem ser uma grande surpresa e aprendizado para ela. Acredito que, quando saímos da nossa zona de conforto, nos tornamos pessoas mais fortes e mais preparadas para a vida e para seus desafios di-á-rios, seja onde for!

tour-santiago-2

tour-santiago-3

Cecilia, quando ouvi você dizer que estava se sentindo uma Diva, percebi que valeu meu esforço de tentar fazer a sua viagem ser perfeita! Adorei te conhecer, e só não fui para o Peru com você porque eu tinha uma família linda e entrosada (que eu ainda nem conhecia) me esperando, para também mostrar um pouquinho do Chile para eles. E eu não troquei você por eles rs, apenas compartilhei com eles os lugares e sensações que compartilhamos juntas. E, enquanto você se afastava, o Mauricio disse: parece que estamos deixando uma filha no aeroporto 🙂

Um brinde a você e a sua escolha de viver a vida de uma forma plena!

farellones-2015

Elisabete Veingartner | Novembro 2015


Vem conhecer o Chile com a gente!

Roteiros e informações: contato@feriasnochile.com

Importante: anote o período da sua viagem e o número de pessoas (se houver crianças, as idades)


2 Comentários

  1. Tarcisio Manoel da Silva

    Provavelmente vou fazer o mesmo que você! Pois a minha esposa não gosta de viajar. Estou programado ir em outubro se for permissão de Deus, parabéns para você, que o Sr.Jesus continue derramando bênçãos sem medidas na sua vida e na sua família. Abraços Tarcisio Manoel.

    • Francisco

      Muito Show Mesmo!! Pretendo conhecer o Chile também, mais só em Abril de 2017, e sozinho também, amo viajar e conhecer os lugares.
      Abraços
      Jucieudo Coelho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *