Lua de mel a três

Desde novembro do ano passado, o Marcelo nos escolheu para fazer parte desse momento tão importante na vida de um casal, a lua de mel! A Ana deixou por conta do noivo a escolha dos lugares que iriam conhecer aqui no Chile, afinal ela tinha mil outras coisas para cuidar. Depois de alguns emails trocados o roteiro foi definido, o que foi um alívio para ele, pois são tantos os itens na lista dos preparativos de um casamento, que um item a menos traz uma grande tranquilidade.

Combinei somente com o Marcelo que já no aeroporto seriam recebidos com flores, o que foi uma feliz surpresa para a Ana!

lua-de-mel-chile

Nosso primeiro dia de passeio foi por Santiago, em um City Tour feito caminhando pelas ruas da cidade. O dia foi de temperatura agradável e até um solzinho bom de outono. Começamos pelo Cerro Santa Lucía, onde eles quiseram subir até o alto do castelo para poder ver as cores acinzentadas dessa parte da cidade que se mantém desde a sua urbanização e na fonte dos desejos, jogaram uma moeda e fizeram um pedido!

cerro-santa-lucia

Na Biblioteca Nacional paramos para tomar um café, que para a minha alegria, a Ana adora também! Seguimos o tour passando pelo Teatro Municipal, pelas ruas Nueva York e Ahumada, fizemos uma parada no Palácio La Moneda e chegamos até a Plaza de Armas, onde eles tiveram a felicidade de poder acompanhar uma parte da missa que estava sendo celebrada na Catedral Metropolitana de Santiago.

centro-santiago

centro-cultural-la-moneda-2

Já era quase 1 hora da tarde e a fome chegou para nós “três”, então seguimos para o Mercado Central. O restaurante escolhido foi o Donde Augusto, com direito a serenata particular, um agrado do “Férias no Chile” para o casal! E ao som de uma boa música, escolheram um congrio frito com batatas salteadas e salada.

mercado-central-donde-augusto

Depois do almoço, iniciamos a segunda parte do City Tour, mas eles não quiseram nesse dia conhecer uma das vinhas do Valle de Maipo, mas sim o Cerro San Cristóbal, que faz parte do Parque Metropolitano, o grande pulmão verde da cidade. Do Mercado até o Cerro, que está localizado no bairro de Bellavista, fomos caminhando e aproveitando o sol de outono que deixou a cidade ainda mais bonita. Passamos pelo Museu de Bellas Artes, caminhamos sem pressa pelo Parque Forestal, paramos para tomar um sorvete no bairro Lastarria e contei um pouco da história política e social do GAM, o Centro Cultural Gabriela Mistral.

parque-forestal

emporio-la-rosa-lastarria

No Cerro San Cristóbal, subimos de funicular, um passeio imperdível, pois a cidade vai aparecendo aos poucos e vamos descobrindo como Santiago é linda do alto. No mirador do Cerro, o casal tirou fotos da cidade que ficou aos seus pés, e também foi o momento da Ana provar uma empanada chilena e um mote con huesillo. O Marcelo? Fez que provou, rs. Dali, acompanhei eles até uma parte da subida para a virgem de Concepción, onde eles tiveram um tempo só deles, de oração, agradecimento e novamente um pedido. E no El Caminho de Las Siete Palabras, um lugar sagrado para os católicos, tiveram mais um momento só deles, de reflexão e paz.

cerro-san-cristobal-1

cerro-san-cristobal-2


O segundo dia de passeios foi para o litoral, com uma parada no Valle de Casablanca, seguir pela rota 68 e não fazer uma parada na vinha Emiliana é um pecado, rs. Como a ideia deles era passar mais tempo em Valparaíso, o casal apenas conheceu os jardins e a casa da vinha, sem fazer o tour, mas não deixaram de provar uma taça de vinho, cada um com seu gosto: ele de branco chardonnay e ela de tinto merlot.

vinha-emiliana-1

vinha-emiliana-3

Dali, seguimos para Viña del Mar, fizemos uma parada no Relógio de Flores, e depois no Castillo del Mar, um restaurante dentro de um castelo e com uma vista linda de frente para o Pacífico, o que deixou o Marcelo inspirado e logo na entrada ele teve um gesto espontâneo e lindo de beijar a mão da Ana. Depois seguimos para a Playa de los Cañones e para o Casino Enjoy, com tempo para passeio pela areia da praia, fotos, tomar um sorvete e tentar a sorte em uma das máquinas de caça niqueis, rs.

vina-del-mar-4

vina-del-mar-2

Já era hora de conhecer a beleza caótica de Valparaíso, e para lá seguimos. A primeira parada foi na casa de Pablo Neruda, a La Sebastiana, com tempo para passeio pelos jardins, biblioteca, sala de exposição e contemplar da mesma paisagem que o poeta. Depois a ideia era caminhar pelas ruas de Valpo e experimentar um pouquinho o que é viver nesse lugar que exala arte e cultura.

valparaiso-cerro-concepccion-2 valparaiso-cerro-concepccion-3

E entre ruas, janelas e escadas, paramos para mais um café!

Não tenho fotos do momento, mas foi aqui em Valparaíso, em uma das dezenas de galerias onde se vende o artesanato local, feito com toda a paixão dos artistas e artesãos que aqui vivem, que comprei um par de sapatinhos amarelos feitos em crochê para o “futuro bebê” do casal e disse a eles que eu queria ser a “madrinha do Chile” do bebê. Esse foi um daqueles momentos que não vou esquecer, porque senti neles uma alegria sincera!

Do Cerro Concepción, seguimos para Porto de Valparaíso. Para chegar até o alto do Cerro Artillería, subimos de ascensor (um tipo de bondinho), onde eles fizeram comprinhas, tiraram fotos e puderam acompanharam o movimento colorido do Porto.

porto-valparaiso-1

E para finalizar o roteiro, uma parada em um ponto de Valparaíso que poucos conhecem, o Camino de La Polvora, lugar de paz e beleza.

valparaiso


O terceiro dia do roteiro começou com um tour e degustação de vinhos na Cousiño Macul, experiência que o Marcelo e a Ana amaram! Depois de algumas taças, seguimos caminho para as montanhas de Cajón del Maipo. O dia tava gelado e nem o vinho ajudou a nos esquentar, rs. O casal não estava esperando ver neve em pleno outono, mas tiveram essa alegria e aguentaram firme (e bem agasalhados) o frio úmido vindo da cordilheira. Nossa principal parada foi em Baños Morales, onde fizemos um piquenique e mesmo com uma chuvinha fina e gelada os dois se aventuraram pelo vilarejo.

cajon-del-maipo-banos-morales-1

cajon-del-maipo-banos-morales-2

No caminho de volta, fizemos mais algumas paradas, afinal, Cajón del Maipo tem uma beleza única agora no outono, os tons de verde, amarelo e vermelho das folhas colorem o caminho e uma neblina branca, parecendo algodão se mistura entre as árvores e as montanhas. Acho que eu ainda não tinha visto Cajón tão lindo como nesse dia.

cajon-del-maipo-tunel-tinoco-2

cajon-del-maipo

Para finalizar o dia, uma parada na cidade de San José de Maipo, um passeio pela praça e provar das  deliciosas empanadas quentinhas saídas do forno de barro!

san-jose-de-maipo-1

san-jose-de-maipo-2


Mais uma vez começamos o dia com uma parada para as delícias do Chile: os vinhos! O quarto dia de passeio começou pela Vinha Undurraga, no Valle Central. Aqui, se divertiram entre informações e brincadeiras do guia German, uma figura ímpar que dá um toque de humor ao tour. Se encantaram com a beleza da vinha e gostaram de provar um vinho de sobremesa, bem docinho, o Late Harvest. Levaram um para casa!

vinha-undurraga-1

vinha-undurraga-2

Depois seguimos para mais um dia de litoral: Isla Negra e Algarrobo foram as escolhidas! No caminho, um pouco de chuva, mas podemos dizer que ainda assim o dia foi perfeito, porque só choveu nos momentos que estávamos dentro do carro, San Pedro colaborou, rs.

A primeira parada em Isla Negra, foi para o almoço no restaurante Rincon del Poeta, com vista privilegiada do Pacífico e boa gastronomia. Aqui, eles provaram um salmão com molho de gengibre que é divino! Meu preferido!

isla-negra-1

Depois fizeram um tour por dentro da casa do Poeta, e assim conheceram um pouco mais da sua história de vida, seus amores e do seu lado quase excêntrico. Ainda deu tempo para passear pela praia e pelo vilarejo e conhecer de perto os caminhos de Pablo.

isla-negra-casa-pablo-neruda-1

Saímos dali renovados, e seguimos para Algarrobo, onde está localizado o Condomínio San Alfonso del Mar e sua piscina gigante, a maior do mundo, com 1 quilometro de extensão. A praia ali nessa época do ano é quase deserta e o Marcelo e a Ana puderam brincar e declarar seu amor um pelo outro com corações na areia e beijos apaixonados! Lindo de viver!

algarrobo-1

E antes de seguirmos o caminho de volta para “casa”, fizemos uma parada na praia de El Canelo, também deserta agora no outono, e ali eles se despediram da beleza e paz das águas do Pacífico. Até uma próxima vez!

el-canelo-1


E no último dia do roteiro: A Cordilheira dos Andes! Na subida, uma parada no único “shopping” das montanhas, onde Don Carlos nos atendeu com toda a sua boa vontade e alegria, explicando qual é cada pedra que ele tem ali para vender, mas a que mais chama a atenção são as obsidianas, conhecidas como pedras vulcânicas e o casal não resistiu e comprou, mas além das pedras, compraram mais algumas outras coisinhas que eles não encontrariam em mais nenhum outro lugar, não com aquela energia boa vinda da cordilheira. Eu aproveitei e provei o famoso chá de coca, achei a bebida com um sabor de não sei o que e cheiro de esterco, rs.

cordilheira-dos-andes-1

cordilheira-dos-andes-2

Seguimos subindo até chegar em Farellones. As atividades do parque estavam fechadas, o que não foi um problema para o Marcelo e a Ana, já que se encantaram com o Sanson, o São Bernardo que vive lá com seus donos: dois argentinos e uma chilena. Como todos precisamos ganhar o nosso pão de cada dia, o Sanson “cobra” 5.000 pesos por uma foto impressa com ele. E acredite, é diversão garantida!

farellones-1

Depois da sessão de fotos, o casal foi caminhar pelo vilarejo enquanto eu preparava um cantinho para que a gente pudesse sentar, jogar conversa fora e tomar um bom vinho, é claro! E assim foi, mais um bom momento para ficar guardado, porque além da boa conversa, a paisagem das montanhas como um quadro perfeito, tornou o momento ainda mais especial.

farellones

Em Valle Nevado, ficaram surpreendidos com a beleza da montanhas cobertas de neve. Ainda não tem neve para esquiar, a temporada oficial só abre em 26/06, mas, para eles que não estavam esperando nem uma gotinha de neve, rs, ficaram muito felizes e agradecidos. Mas antes de se jogarem na neve, fizemos uma parada para almoçar, o restaurante com vista para as montanhas tava quentinho e a comida boa demais!

valle-nevado-5

valle-nevado-4

valle-nevado-6

E talvez você esteja se perguntado por que o título desse post é Lua de mel a três? Não é porque eu estive junto com o Marcelo e a Ana quase que o tempo todo não. Mas sim porque o pedido que eles fizeram lá na fonte do Cerro Santa Lucía e depois na virgem do Cerro San Cristóbal, já tinha sido atendido: a Ana já estava grávida e carregou o bebê por todos os lugares que conheceram aqui no Chile. E eu me sinto muito feliz e agradecida por ter feito parte dessa história que só está começando e ainda mais porque eu fui a primeira a saber! Acho que mereço mesmo o título de a “madrinha do Chile”, rs.

valle-nevado-2

valle-nevado-7

Um brinde ao amor de vocês e que esse bebê que já tem um carimbo no passaporte antes mesmo de ter sua certidão de nascimento, traga ainda mais alegrais em suas vidas! Salud!

Bete Veingartner | 27 de maio de 2016


Vem conhecer o Chile com a gente!

Roteiros e informações: contato@feriasnochile.com

(Anote o período da sua viagem e o número de pessoas e se houver crianças, as idades)


1 Comentário

  1. Ana e Marcelo

    Bete, só temos a agradecer os belos dias que tivemos em sua companhia!!! Lindo e emocionante post!!! Muito obrigado por todo o carinho, de coração!!! Na próxima vez, iremos oficialmente a 3 e com certeza nosso baby irá se encantar com as belezas do País e com a grande hospitalidade da especial e única “madrinha do Chile”.
    Bjs,
    Ana e Marcelo (+ baby) rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *